segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

Moncorvo quer pôr EDP em tribunal

Para além da inauguração das obras de reforço de potência efectuadas nas barragens de Picote e Bemposta, no Douro, num investimento de conjunto de mais de 270 milhões de euros, que vai permitir quase duplicar a produção de energia naqueles dois empreendimentos, a EDP vai hoje assinar com a Associação Nacional de Municípios Portugueses um protocolo para a revisão dos preços das rendas pagas aos concelhos onde estas obras hidráulicas estão instaladas.Um acordo que deixa de fora quatro câmaras do Baixo Sabor, por aí ter sido criado um fundo ambiental, no decorrer da Declaração de Impacto Ambiental. Algo com que Aires Ferreira, presidente da Câmara de Torre de Moncorvo e da Associação de Municípios do Baixo Sabor, não concorda. Na sexta-feira, anunciou mesmo a intenção de levar a EDP a tribunal, por estas autarquias não terem acesso aos seis milhões de euros que vão ser distribuídos por todo o país. Segundo Aires Ferreira, a EDP, "com a conivência da Associação Nacional de Municípios, entendeu excluir a barragem do Baixo Sabor desta compensação". Em declarações ao PÚBLICO, sublinhou que se está a abir "um grave precedente", ao "ignorar uma medida da Declaração de Impacto Ambiental".
Foto A.F.M.

5 comentários:

  1. Municípios ganham receita anual extra com barragens da EDP
    Mais de 60 municípios portugueses ganharam uma receita anual extraordinária da EDP como compensação pelas barragens que existem nos seus territórios, valor que o ministro-adjunto Miguel Relvas avisa para ser bem aplicado.
    O governante presidiu hoje, em Picote, em Trás-os-Montes, à assinatura do protocolo entre a Associação Nacional de Municípios Portugueses (ANMP) e a EDP, através do qual a elétrica portuguesa vai pagar anual e voluntariamente cinco milhões de euros aos municípios.
    O valor é uma compensação que acresce às rendas que a EDP já paga anualmente, no valor de 900 mil euros, a estas câmaras e que se manterá até haver acordo para alterar a legislação de 1983, que há mais uma década os municípios pedem para ser revista.
    Diário Digital / Lusa

    ResponderEliminar
  2. Miranda do Douro, 27 fev (Lusa) - O presidente da Associação Nacional de Municípios Portugueses (ANMP) mostrou-se hoje disponível para ouvir os associados descontentes por terem sido excluídos do fundo de compensação de cinco milhões de euros, hoje formalizado com a EDP.
    "A associação, como sempre, é aberta às propostas dos seus associados. Naturalmente, se houver alguma coisa que correu menos bem, estamos disponíveis para corrigir", disse Fernando Ruas, à margem da inauguração das obras de reforço de potência das centrais Bemposta e Picote.
    Ruas reagia assim às palavras de presidente da Associação de Municípios do Baixo Sabor que disse que Torre de Moncorvo, Alfândega da Fé, Mogadouro e Macedo de Cavaleiros ficaram excluídos do fundo de compensação.
    Ler mais: http://aeiou.visao.pt/barragens-anmp-mostra-se-disponivel-para-ouvir-associados-descontentes=f649018#ixzz1nbwsFJmK

    ResponderEliminar
  3. Hoje ,na Antena 1 o presidente de Montalegre dava vivas de contente porque vai receber 10x mais do que aquilo que até aqui recebia pelas barragens do Lindoso.Aqui há gato .Se há para uns tem que haver para os outros.
    Vá em frente presidente ,aperte com essa tropa da edp.
    Um moncorvense

    ResponderEliminar