sábado, 30 de março de 2013

A NEVE ,por Telmo Ferraz


SENHOR! Porque enfeitaste a Natureza?
Neve!
Brancura imaculada ! Frio picante. Flocos a
 A bailar...O ritmo dos flocos! E o rendilhado dos
penedos? E a pompa das árvores? E os Pobres
a tiritar de frio nos currais abertos?
Encontrei, hoje, o Lúcio.
Anda às sobras, no refeitório grande.
Os Operários vêem-no e dão-lhe o que sobra.
Ele come as sobras e vagueia.
À noite, aparece outra vez. E assim, todos
os dias.
Traz sempre a roupa sebenta e a cara suja.
Não tem coragem para se lavar.
Dentro dele, uma alma pura.
A imagem de Deus ainda não foi embaciada.
Senhor, Tu mandas a neve para nos consolar
a alma, com tamanha alvura! Imediatamente, mar-
camos presença com as nossas pegadas escuras
- a nossa presença no Teu lençol ímaculado!
Buracos negros.
Depois, fazemos bolas, misturando a neve com
o barro dos caminhos!
E Tu sorris... e continuas a mandar flocos,
flocos e flocos...
O ritmo dos flocos!
A neve!
O Lúcio!

6 de Fevereiro de 1959.
In Lodo e as Estrelas 

Padre Telmo Ferraz:

1 comentário:

  1. A leitura do livro "O Lodo e as Estrelas" do Padre Telmo Ferraz deveria ser de leitura obrigatória para todos nós. É um livro belíssimo !

    Júlia Ribeiro

    ResponderEliminar