quarta-feira, 20 de julho de 2011

FELGAR - AFONSO PRAÇA

Click na imagem para aumentar.
Foto cedida pelo dr.Carlos Seixas.
Equipa de futebol do Felgar (anos 50)
Afonso Praça é o segundo,de pé, a contar da direita,
ao lado do guarda-redes
Ao ver o Afonso (Emílio) Praça numa fotografia de uma equipa de futebol do Felgar  vieram-me à memória algumas andanças do Afonso Emílio ( como carinhosamente dois ou três amigos o tratavam). O Praça para compor o ordenado ( à semelhança do que então faziam muitos jornalistas) conseguiu um biscate no Record. Diga-se que, na altura, o Record era dirigido pelo Artur Agostinho que, sendo um homem de direita, protegeu muita gente de esquerda.
Nessa altura ( antes do 25 de Abril),o Mário Zambujal era o chefe de redacção e tinha como colaboradores nomes tais como o do Assis Pacheco ( cujas crónicas no Record deram origem ao livro Memórias de um craque), Silva Pinto ( fundador e director de O Jornal) e Afonso Praça. O Afonso chegou mesmo a ser despachado, como enviado especial, para a cobertura de um jogo da CUF no estrangeiro, durante uma competição europeia. Contou-me várias histórias com jogadores, de que já me não lembro, e da crónica escrita por quem não sabia nada ou muito pouco de futebol. Creio que foi com a CUF a um país de Leste, mas não posso garantir.
Mais tarde, logo a seguir ao Porto ganhar a Taça dos Campeões em 1987, durante um vinda da equipa do Porto a Lisboa para um jogo ( já não me lembro com quem) fomos jantar ao Solar dos Presuntos, cujo patrão era/é o Evaristo, um bom homem, sportinguista e que, durante anos, foi o cozinheiro da selecção nacional.
No jantar estiveram, pelo Porto, Jorge Nuno Pinto da Costa e Artur Jorge. Pelos jornalistas portistas estávamos eu, o Afonso, o Venâncio Guilherme ( que esteve como fotógrafo da agência ANOP em Tóquio na vitória do Porto sobre o Peñarol, se não me engano), o Rui Ochoa da Expresso, o Ribeiro Cardoso, amigo do Artur Jorge já desde os tempos de Coimbra, e mais dois ou três nomes que não recordo.
O Afonso era mesmo portista, ainda que não fosse um aficionado do futebol, propriamente dito.
Mais tarde demo-nos com o António Oliveira, treinador jogador do Sporting que almoçava connosco com alguma frequência na Casa Transmontana às Escadinhas do Duque.

Rogério Rodrigues
O editor recomenda:

http://lelodemoncorvo.blogspot.com/2011/02/praca-e-moncorvo.html
http://lelodemoncorvo.blogspot.com/2011/04/afonso-praca-por-manuel-j-geraldes.html
http://lelodemoncorvo.blogspot.com/2011/04/angola-1966-por-afonso-praca.html

1 comentário:

  1. Por força dum episodio, contado para meu deleite e que muito me fez rir, pelo Afonso Praça ( que meteu excursão a Lisboa pela malta do Felgar, com paragem obrigatória por Fátima nos idos de 1970, capitaneados pelo Antonio Chiquinho, ferrenho sportinguista e seu colega, e ida a Alvalade assistir a um jogo grande de futebol e que, ainda por cima, o Sporting perdeu...) eu até estava meio convencido que o clube do Afonso Praça era o Sporting ( como o meu ),afinal, saiu-me um apaniguado do dragão, ainda que sem muito fervor.

    Ser-se da terra do Presidente do F.C.Porto ou as ofertas dos equipamentos, como o da foto, que davam uma certa prosápia ao então beque, devem ter contribuido para tal queda.

    Curiosamente das ultimas vezes que vi o Afonso Praça na Visão a trabalhar estava a preparar um artigo sobre o Carlos Queirós, então muito afamado pela vitoriosa campanha dos juniores no mundial de futebol.

    ResponderEliminar