quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

TORRE DE MONCORVO - EFEMÉRIDES (08/12)

8 Dezembro 1596 – Famoso auto de fé da Cruz Verde, o primeiro deste género e o mais célebre que se realizou na cidade do México. A efeméride tem interesse porque, dos 67 réus presentes no palco (muitos condenados à fogueira, por judaizantes), a maior parte deles eram originários da região do Nordeste Trasmontano, nomeadamente de Mogadouro, Torre de Moncorvo, Freixo de Espada à Cinta, Vila Flor e Alfândega da Fé. Uma dezena destes pertencia à família de Dom Luís de Carvajal de la Cueva, nascido na região, por 1539, uma das figuras mais importantes da história da colonização do México e da zona meridional dos Estados Unidos, a ponto de ganhar o epíteto histórico de El Conquistador. Com efeito, no ano de 1579, ele partiu de Sevilha acompanhado por 100 povoadores cristãos-novos quase todos recrutados da região sul do Nordeste Trasmontano, em um barco por si comandado, com um alvará do rei Filipe II que o encarregava de descobrir e colonizar o Nove Reino de Leão (região Norte do México, Texas e Florida – USA) e nomeando-o governador do mesmo Reino cuja capital ele estabeleceu na cidade de Monterrey.

A importância deste Trasmontano foi reconhecida pelos Mexicanos que, há muitos anos, lhe erigiram uma estátua equestre na praça mais central de Monterrey e uma outra, na cidade do México, dedicada a seu sobrinho, do mesmo nome, considerado um mártir do judaísmo e que passou à história com o epíteto de Lumbroso .
Também nos Estados Unidos da América a memória de “The Conquistador” permanece bem viva. Ainda no ano de 1998 foi composta uma ópera com esse título, apresentada pela Ópera de S. Diego e na qual a figura do Conquistador é interpretada pelo tenor Myron FinK, com libreto de Donald Moreland e a seguinte apresentação: - Dom Luís de Carvajal – Extraordinário conquistador – fundador da cidade de Monterrey – defensor dos direitos dos índios – firme na fé católica – mas, maldição! – de ascendência judaica, é, inevitavelmente, vítima da Inquisição Mexicana.
Incrivelmente, este homem tão celebrado pelos estrangeiros, é completamente ignorado e desconhecido na sua pátria e na sua terra natal.
8 Dezembro 1609 – Seferim de Faria, cónego da Sé de Évora deslocou-se nesta data a Miranda do Douro, acompanhando o novo bispo nomeado para esta diocese. Da sua viagem deixou um relato e dele consta o seguinte:
- 21ª Jornada. 8 do Mês – De Vila Dala a Moncorvo há 7 léguas, nela fizemos de noute. Nesse caminho, duas léguas da Vila, encontramos dois lobos ao longo da estrada, um deles tamanho como de um pequeno bezerro, que devia ser fêmea por um cachorro pequeno que o seguia. Foi sempre tão seguro que nunca se espantou dos nossos brados. Há nesta terra muitos e são mui daninhos e cada dia crescem mais por o descuido que há nas montarias dos povos e somente se lhe faz algum dano com o prémio que el-Rei manda dar a quem os caça e desnunha dando as peles em sinal da morte, as quais depois os almoxarifes apresentam em Lisboa nas suas contas

António Júlio Andrade

1 comentário:

  1. El Conquistador não era de Moncorvo.Nasceu em Mogadouro.De qq modo,era transmontano,e disso nos orgulhamos.

    Maneldabila

    ResponderEliminar