segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

Armando Sena - Na Demanda do Ideal

 


"Ainda era noite, um espesso nevoeiro cobria toda a Francónia, especialmente Nuremberga. Acendiam-se as primeiras luzes das casas e não passava muito das quatro. A temperatura exterior rondava os quatro graus negativos, acompanhados por uma humidade que a transformava em pelo menos, outros tantos.Este era um clima bem diferente do que Videira estava habituado. A temperatura baixa não era novidade, mas com esta humidade… e o pior é que se mantinha um frio de rachar ao longo de todo dia.Videira olhava o teto do quarto da pensão. Entre o candeeiro e a segunda racha, encontravam-se duas aranhas tecendo vagarosamente as suas teias. Lá fora ouviam-se os primeiros operários a partir para as fábricas. Dos ecos das botas a bater na calçada vinha o sinal de alerta que estava na hora. Às seis horas em ponto teria que estar na fábrica a iniciar o turno da manhã.
No estômago sentia ainda o peso do trigo da última Weissbier. As duas que tinha bebido, em conjunto com o excesso de sal do Brezel, tinham-lhe trazido uma insónia como não há memória. Mas Videira desconfiava que não era só isso.
Mas que raio, aquele era um dia diferente, não conseguia livrar-se do pensamento que o tinha assaltado toda a noite.
Levantou-se, vagarosamente dirigiu-se à casa de banho. Tropeçou nas calças estendidas no chão, bateu com o ombro esquerdo na ombreira da porta e foi neste estado que abriu a torneira do lavatório. O contacto com água fria, fê-lo encarar a realidade de uma forma mais decidida. Ia voltar e seria ainda hoje.
Dirigiu-se ao quarto do lado, nem foi preciso bater à porta. Izet, o seu colega de turno, turco, ia a sair apressadamente para a fábrica.
- Não vou, disse-lhe Videira num alemão praticamente impercetível.
- Como, perguntou Izet, lembrando-se dos cinquenta marcos que Videira lhe devia e lhe prometeu pagar no fim do mês."
 
 Excerto do início de Na Demanda do Ideal

2 comentários:

  1. Gostei mais do segundo livro,mais maduro.Bom sinal, o terceiro será melhor.
    J.Mendes

    ResponderEliminar
  2. "Armando Sena, nasceu em 1968 em Pedome, concelho de Valpaços.
    Engenheiro electrotécnico de formação, exerce a sua atividade profissional no setor dos transportes.
    Editou o seu primeiro romance, Na Demanda do Ideal, em junho de 2001. Participou na Antologia, Eu Digo Não ao Não, tendo-se seguido, Colheita de Incertezas, o seu segundo romance, editado em outubro de 2012."

    Enviado pelo autor

    ResponderEliminar