quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

MAÇORES - Episódios burlescos (II)

Casa grande
     Episódios burlescos ocorridos em Maçores no terceiro quartel do século XX.
 (In "Maçores Minha Terra Minha Gente" de Ilda Fernandes)

Na altura da Quaresma era usual vir um missionário a Maçores preparar os paroquianos para Comunhão Pascal e de vezes em quando vinha também o Bispo de Bragança/Miranda. Deslocava-se de umas aldeias para as outras a cavalo. Numa das vezes coube ao mesmo Ti Alberto Alegre vir buscar o Bispo a Maçores que ficava alojado na Casa Grande. Mal chegou com um macho para o levar perguntou a uma das criadas:

Ó senhora Maria Rosa, o Sr. Bispo gosta de arroze?
- Gosta.
E de Pirum?
- Tamem.
-Então deite-o cá pr'a fora que o havemos de levar.
Quando o reverendíssimo apareceu na varanda proferiu em voz alta:
- Viva o senhor Bispo, car.lho!
Perante a admiração de muitos paroquianos montaram o bispo na cavalgadura e levaram-no para Felgueiras.

O mesmo indivíduo disse uma vez ao meu irmão Luís, mais conhecido por Camões por em criança ir recitar uma poesia com o título "Eu sou Luís de Camões":
- Ó Camões, quereis casar o vosso S. Martinho de Maçores com a nossa Santa Eufémea de Felgueiras?
- Está bem, arranje lá o casamento.
A mulher interveio de imediato:
- Era o que nos faltava, a nossa santinha Eufémea rica, bonita e nova, ir casar com S. Martinho de Maçores, pobre e borracho!

4 comentários:

  1. Ainda bem que o casório não se fez.Haveria incompatibilidade de feitios e não tardaria o divórcio ...
    Obrigada ,dra.Ilda, pela gargalhada que me suscitou este episódio.

    Uma moncorvense

    ResponderEliminar
  2. Era só já o que faltava agora... casarem o S. Martinho lá com a "Ganhona". Casarem a tristona do ermo com o alegre e divertido da aldeia.
    Ao menos o nosso Santo, mora no povo e mais, é chapa ganha, chapa gasta, não é forreta.
    Os de Felgueiras que guardem bem o dinheiro da "santica" que arranjem o casamento lá com o de Urros, que nós, ou botamos a luva à de Ligares ou à de Moncorvo, que são bem mais ricas que a de Felgueiras.

    Vale mais o Gaiteiro, a Caldeira, as castanhas e o Vinho em Maçores, que tudo quanto a "Ganhona" tem lá atrás da serra.

    ResponderEliminar
  3. Talvês a Santa Marina da Açoreira.Diz a lenda que ...

    ResponderEliminar
  4. Olá, Amiga:

    Gostei imenso destes episódios burlescos. Rir faz bem e eu sou adepta da boa disposição.
    Essa do bispo era do D.Abílio Vaz das Neves? Dele se contava que, ordenado Bispo, foi a Ifanes ver a mãe, muito velhinha e já cega. Num gesto de afecto, agarrou-lhe as mãos. Comovido silêncio. Ela tacteou, notou o tamanho do anel e disse : "Ah, me'filh'Abilho, dezendes que não tendes proua e tendes aí um anel tão guapo!".

    Ilda, um abraço muito grande,

    Júlia

    ResponderEliminar