sexta-feira, 15 de abril de 2016

Estátua de Monsenhor Júlio Augusto Martins - Ligares



Estátua de Monsenhor Júlio Augusto Martins - Ligares

“Sabem a razão por ele estar com o chapéu na mão? Uma das vezes que nos veio visitar dizia assim “estes homens de Ligares andam sempre com o chapéu tão roto, tão roto”. Depois foi a Moncorvo a uma chapelaria, a “Chapelaria Silva”  e disse “arranje maneira de embalar estes chapéus todos, que eu compro-lhos todos” e o homem ficou sem um único chapéu. Chegou a Ligares e pôs um chapéu na mão daqueles que não tinham e substituiu os chapéus velhos pelos novos que tinha comprado. Antigamente os homens trabalhavam todos na lavoura e traziam os chapéus todos sujos, era a miséria. E então o meu tio “limpou” a Chapelaria do Silva” para dar os chapéus novos aos homens”.

Pequena história contada por duas sobrinhas de Monsenhor Júlio Augusto Martins

Sem comentários:

Enviar um comentário