sábado, 29 de junho de 2013

"Trabalhadores da Ribeira",por Guilhermino Soares

FOZ CÒA - II Festival do Vinho do Douro Superior

"Ó homem de Deus! Já disse que amêndoas cobertas só em Moncorvo". Pensamos que é o que a Dona Dina está a dizer.
In Revista de Vinhos

ALFÂNDEGA DA FÉ,TORRE DE MONCORVO - PROGRAMAS



VALE DA VILARIÇA - BAIXO SABOR

FOTOGRAFIA DE JOSÉ RODRIGUES

Companhia Portuguesa de Ferro (CPF) faz acordo com multinacional mineira indiana Zarmin

Foto A.F.F.M.
 A Companhia Portuguesa de Ferro (CPF), que detém uma concessão para prospeção e pesquisa de ferro, numa área aproximada de 40 quilómetros quadrados, no concelho de Torre de Moncorvo, acaba de fazer um acordo com a multinacional mineira indiana Zarmin.
Esta zona de intervenção situa-se ao lado da concessão da Mining Technology Investments, que há cerca de um ano foi cobiçada pelo gigante mineiro australiano Rio Tinto, que se propunha investir 1,8 mil milhões em Moncorvo.
O acordo agora firmado entre a CPF e a Zarmin, segundo o Expresso conseguiu apurar, para já prevê apenas a realização conjunta de trabalhos pesquisa de ferro. Numa fase posterior, quando se passar à exploração, o investimento poderá ascender a 1000 milhões de euros.
Empresa mineira indiana quer investir em Moncorvo


Ler mais: http://expresso.sapo.pt/empresa-mineira-indiana-quer-investir-em-moncorvo=f816726#ixzz2XciNKOtH

sexta-feira, 28 de junho de 2013

Nós Trasmontanos Sefarditas e marranos – 26

TORRE DE MONCORVO
Manuel Rodrigues Isidro. Porventura nunca em Torre de Moncorvo se assistiu a uma tão intensa luta política como nos anos de 1600. As forças em presença podemos seguramente designá-las de “partido dos marranos” e “partido da inquisição”. A liderar o partido dos marranos encontrava-se Manuel Rodrigues Isidro. E a luta ganhou tal intensidade que incluiu processos judiciais, assassinatos políticos, arruaças sem conta e cenas de pancadaria. Uma dessas cenas desenrolou-se no dia 17 de Maio de 1599 na Rua dos Sapateiros, à porta de Manuel Rodrigues Isidro que dela saiu com o dedo de uma das mãos decepado e possivelmente ali perderia a vida se não fosse tão lesto a recolher-se em casa, com a preciosa ajuda dos familiares. Outro episódio desenrolou-se em Madrid onde um fidalgo cavaleiro Moncorvense da ordem de São Tiago e líder do tal “partido da inquisição” assassinou um cunhado de Manuel Isidro. E destes e doutros episódios resultou a prisão de uns 9 homens das famílias mais nobres de Torre de Moncorvo, incluindo o presidente e os vereadores da câmara, assim como um familiar da inquisição. Presos com “baraço e pregão”, que o mesmo é dizer que foram presos e passeados pelas ruas da vila com uma corda atada ao pescoço, acabando alguns desterrados para o Brasil e outros para o couto de Castro Marim. Claro que, pertencendo eles a famílias poderosas, tinham muitos amigos nas altas esferas do poder e juravam que a vingança haveria de ser terrível. E que melhor palco havia para executar a vingança do que o tribunal da inquisição? Não eram as suas escuras e húmidas masmorras bem mais difíceis de suportar do que quantos desterros havia?

OS JUDEUS EM TRÁS-OS-MONTES,Por: António Pimenta de Castro

Dedico este meu artigo à Tia Olívia Tabaco (2) , possivelmente a última rezadeira (3) judaica de Vilarinho dos Galegos (concelho de Mogadouro), a quem vi acender as “candeias do Senhor”, às sextas-feiras à noite, com torcidas “rezadas”, na velha cozinha da sua modesta casa, “pintada” com as negras cores da lareira, de muitos e rigorosos Invernos nordestinos e que me ensinou muitas tradições do seu povo e rezas ao seu Adonai. Tenho pela memória da Tia Olívia, um carinho muito especial, na verdade ela partilhou comigo aquilo que tinha de mais precioso, a memória do Seu Povo, a Tradição, a angústia de viver praticamente sozinha a sua terna mas firme religiosidade…Vi, comovido, as lágrimas de saudade a escorrerem pela sua face quando me falava do seu tempo de mocidade, do tempo dos velhos marranos, rosto curtido por muitos Invernos, mais parecia um velho pergaminho…Que Adonai esteja sempre consigo Tia Olívia, no lugar onde estiveres, e quando fizeste a tua última viagem, finalmente para junto dos teus antepassados, do povo de Moisés, do Teu povo, sei que foste acompanhada por tantas Luzes como aquelas que tu acendestes a ELE, rigorosamente, todas as sextas-feiras à noite, nas velhas candeias
  de azeite puro e com as torcidas rezadas (como só tu a sabias rezar), como quem desfia um rosário...

MONCORVO - IGREJA MATRIZ (Altares)






















Fotografias de José Rodrigues

Legado judaico de Alfândega da Fé marca feriado municipal

Alfândega da Fé, 28 jun (Lusa) -- O município de Alfândega da Fé, no distrito de Bragança, assinala no sábado o feriado municipal com um conjunto de eventos culturais em torno do legado judaico na região, anunciou hoje a autarquia.
A vila transmontana vai reunir historiadores, estudiosos e interessados num seminário sobre "Os Judeus em Trás-os-Montes: contributos para a criação de uma rota", com o propósito de dar mais um contributo para a já anunciada intenção de criar uma "rota judaica no concelho e distrito".

No encontro está prevista a presença do secretário-geral da Rede de Judiarias de Portugal, Jorge Patrão, de acordo com informação divulgada pela autarquia local.

TRANCOSO - Bodas Reais

Nos próximos dias 29 e 30 de Junho realiza-se na Aldeia Histórica de Trancoso mais uma Festa da História - Bodas Reais. Um evento, organizado no interior do centro histórico e, que, conta com diversos espaços e momentos de diversão: desde as tendas de artesanato aos comes e bebes, animação musical, desfiles e rememoração do casamento real de D. Dinis e Isabel de Aragão que decorreu em 1282.
PROGRAMA:
29 de Junho de 2013
10h00 - Recebimento e autorização aos Mercadores e Artesãos, para darem início às suas atividades de comércio.
D. Dinis recebe no Castelo Alcaides e cavaleiros dos Burgos próximos.
11h00 - Demonstração de tiro com arco no Castelo pelos Arqueiros D’ El Rei.
12h00 - Comeres e beberes nas tavernas do mercado.
15h00 - Desfile Real. Exibição de armas, danças, bobos, malabares e trovadores ao casal Real na praça principal.
17h00 - Teatralização do Pranto de Maria Parda (Gil Vicente) pelas ruas do burgo.
20h00 - Repasto na praça principal. Teatralização Burlesca de um episódio da época.
22h00 - Torneio de armas. Demonstração de tiro com arco e espetáculo de fogo no Castelo.
23h00 - Espetáculo de fogo e malabares na praça sobre a lenda do Milagre das Rosas.
00h00 - Recolher do Casal Real aos seus aposentos e ronda da milícia de homens-bons. Espetáculo musical pela noite dentro com o grupo “COMVINHA”
 30 de Junho de 2013
10h00 - O Povo sai à rua. Início do dia com festejos e preparação do desfile real com decoração apropriada.
15h00 - Os sinos entoam o início do desfile Real onde estão presentes os dois reinos e toda a animação.
17h00 - Enlace Real. A Cerimónia e o preito de vassalagem das três culturas. Festejos largos com ofertas várias aos Reis. Espetáculos de teatro, magia e danças.
19h00 - Julgamento de vários desacatos e desmandos pelo juiz de Fora.
22h00 - Autos de Encerramento das Bodas Reais e lavagem dos cestos e almotolias.

quinta-feira, 27 de junho de 2013

VILA REAL - “Cozinhando com amor...”

Cozinhando com amor...” tertúlia-degustação da gastronomia da Galiza
por Estefanía Seijas Acosta
6 Julho 2013 (sábado), pelas 21h00
na Traga-Mundos – livros e vinhos, coisas e loisas do Douro, em Vila Real

O meu nome é Estefania Seijas Acosta, nasci em La Coruña, na Galiza (Espanha) e sou estudante da licenciatura de Veterinária na Universidade de Santiago de Compostela em Lugo. Neste ano lectivo de 2012-2013 estou a frequentar como aluna erasmus a UTAD – Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro.

Agora que se aproxima o momento de partida, proponho-me realizar uma tertúlia-degustação da Gastronomia da Galiza, também para agradecer o acolhimento desta universidade, da cidade de Vila Real e do espaço da Traga-Mundos – onde frequentei e usufruiu da maioria dos seus eventos, que contribuíram para complementar a minha formação enquanto estudante e como pessoa.

Venha provar o que de mais típico tem a cultura gastronómica da Galiza: empanadas variadas, tortilla espanhola, “rixós”, tarte de Santiago, orellas de carnaval, viño valdeorras, cervexa, sidra, licores, café de “pota” e algumas surpresas mais.

BAIXO SABOR - VALE DA VILARIÇA

FOTO A.F.F.M.

Alfândega da Fé -Gabinete apoia vítimas de violência doméstica.

violenciadomestica.jpg
Alfândega da Fé já tem um gabinete de apoio às vítimas de violência doméstica.O serviço surge associado à Liga dos Amigos do Centro de Saúde que pretende prestar um apoio de proximidade.  “A necessidade de implementar este gabinete surgiu de querer trabalhar ao nível da protecção e integração das vítimas que já estavam sinalizadas para proporcionar à população um serviço para reconstruir a vida livre de violência”, refere o técnico responsável do projecto.Fernando Oliveira salienta que os casos já existentes, relativos ao concelho de Alfândega da Fé, estão agora a ser acompanhados por este gabinete.“Em 2012 tínhamos 27 vítimas sinalizadas pelo Núcleo de Apoio à Vítima da ASMAB, mas esses processos já transitaram todos para o gabinete local para serem acompanhados”. Além disso, “este ano já surgiram algumas denuncias pois o trabalho de sensibilização tem dados alguns resultados”.Este gabinete não é dirigido apenas às vítimas de violência doméstica.Qualquer cidadão pode recorrer a ele para denunciar casos de que tenha conhecimento.“Denunciar situações de violência é um dever cívico e como garantimos o anonimato e a confidencialidade as pessoas sentem cada vez mais a obrigação de denunciar estes casos”, afirma o responsável.
O gabinete de apoio às vítimas de violência doméstica de Alfândega da Fé presta apoio ao nível da protecção das vítimas e promoção da reintegração social, garantindo direitos jurídicos e sociais.
Escrito por Brigantia 

quarta-feira, 26 de junho de 2013

PAULITEIROS SÃO MARTINHO 1971

‘Roteiro Gastronómico e Guia de Restaurantes do Douro - Os sentidos do Douro, Douro com sentidos’

INFORMAÇÃO
Sessão pública de apresentação do ‘Roteiro Gastronómico e Guia de Restaurantes do Douro - Os sentidos do Douro, Douro com sentidos’, a realizar em Vila Real, no Auditório da Biblioteca Municipal, no próximo dia 27 de junho.

FOTO DO ARQUIVO DO BLOGUE
Este Roteiro-Guia é uma edição co-promovido pela AHRESP - Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal, pela CEGTAD – Confraria de Enófilos e Gastrónomos de Trás-os-Montes e Alto Douro, e pela idtour|Universidade de Aveiro, e visa contribuir para promover a restauração e a gastronomia da região Duriense, bem como toda a economia regional de base turística sob o mote:uma nova janela sobre o Douro.
O Roteiro-Guia não é uma produção comercial e possui 216 páginas de conteúdos enogastronómicas e turísticos. Conta com o prefácio da CCDRN (Dr. Nuno Fazenda), da Estrutura de Missão do Douro (Dra. Célia Ramos), da AHRESP (Comendador Mário Pereira Gonçalves) e da CEGTAD (António Manuel Monteiro).
Entre outros autores, este trabalho possui textos do Grão-Mestre da CEGTAD, galardoado em 2012 com o ‘Prémio Literatura Gastronómica’ atribuído pela Academia Portuguesa de Gastronomia.

ALFÂNDEGA DA FÉ - Comemorações e Festival






















Alfândega da Fé vai assinalar o Feriado Municipal com uma série de iniciativas que privilegiam o diálogo intercultural. Destaque para o Seminário:  "Os Judeus em Trás-os-Montes: contributos para a criação de uma rota", a 29 de junho, às 14.00h, na Casa da Cultura e para o concerto da artista Israelita Mor Karbasi. 
Tratam-se de iniciativas que marcam o arranque do Festival sete Sóis Sete Luas no concelho. 
No dia 30, domingo,  a Banda Municipal de Alfândega da Fé lança um Cd  organiza um espetáculo onde participam também a Banda de Carviçais e a Orquestra Juvenil de Alfândega da Fé. Uma atividade para ver e ouvir a partir das 15.30h, na Casa da Cultura. 

Sónia Lavrador
Gabinete de Comunicação 
Município de Alfândega da Fé 

MOGADOURO - Mundo Rural

Foto de José Rodrigues
Quinta de Crestelos, Meirinhos, Mogadouro, novembro de 2012
Reportagem do Jornal TERRA QUENTE em PDF:

terça-feira, 25 de junho de 2013

Douro vai ter Delegação do TPNP

Foto A.F.F.M.
Embora não se encontre consagrado na nova Lei das Entidades Regionais de Turismo, o Douro vai contar com uma Delegação de Turismo. A garantia foi dada pelo presidente da Entidade Regional de Turismo do Porto e Norte de Portugal, Melchior Moreira.
A nova Lei das ERTs não prevê a existência de qualquer delegação de turismo no Douro, região que na anterior Lei era definida como Pólo Turístico e que agora foi fundida com a ERT do Porto e Norte de Portugal. Mesmo assim, Melchior Moreira garante que ela vai ser criada, justificando a criação desta figura com a importância já conseguida pela Marca Douro, a nível nacional e internacional, e pela necessidade de ali criar um verdadeiro destino turístico.
Em declarações proferidas ontem à Rádio Renascença, Melchior Moreira garantiu que “independentemente da lei, como eu sempre disse, haverá uma delegação da TPNP no Douro, com essa marca”, a qual aparecerá associada ao enoturismo e à gastronomia. A escolha da futura sede para esta delegação será da responsabilidade da Comunidade Intermunicipal do Douro escolherem, muito embora Melchior Moreira tenha adiantado à Rádio Renascença que ela terá que funcionar no distrito de Vila Real.

Melchior Moreira adiantou igualmente que vai tentar encontrar soluções para os 13 funcionários do antigo pólo do Douro.

segunda-feira, 24 de junho de 2013

FELGAR -castanheiro da Lameira do Vale (Santuário de Nª Senhora do Amparo)

Foto de Artur Salgado

"OS SENTIDOS DO DOURO,DOURO COM SENTIDOS - GUIA GASTRONÓMICO E GUIA DE RESTAURANTES DO VALE DO DOURO

A participação na sessão é gratuita, mas deverá ser feita a inscrição prévia através dos seguintes meios: telefone (234.380.312) ou e-mail (info@restaurantedofuturo.com).

VIMIOSO,UVA - I Encontro de Arquitectura Tradicional e Sustentabilidade

Aldeia de Uva, concelho de Vimioso
13 e 14 de Julho

Em qualquer parte do mundo, a arquitectura tradicional reflecte um conjunto de saberes construído ao longo de séculos para aproveitar os materiais locais de forma a melhor satisfazer as necessidades das populações. Numa altura em que a sustentabilidade das actuais práticas de construção é posta em causa, revisitar e reinventar o conhecimento tradicional parece ser uma solução possível; mais até do que uma possibilidade promissora, é um património cultural que urge transmitir para preservar.

É neste sentido que a Palombar organizará, na aldeia de Uva, a 13 e 14 de Julho, o I Encontro de Arquitectura Tradicional e Sustentabilidade. Entre palestras, debates e oficinas práticas, os participantes serão convidados a aprender técnicas de construção tradicionais em diversos materiais e a reflectir sobre o seu potencial para os dias de hoje.
PROGRAMA

domingo, 23 de junho de 2013

Apresentação de livro muito fora do comum,por Júlia Guarda Ribeiro

Nunca vi apresentação de um livro com mais graça do que aquela que vos vou contar. Foi em Moncorvo,  Dezembro de 2005.
Presidente,Engº Aires Ferreira (foto de arquivo)
A Câmara havia apoiado a publicação, a apresentadora do livrinho, Dra. Graça Abranches tinha chegado  e eu e mais três amigas de Leiria estávamos a conversar com a Dra. Helena Pontes, Directora da Biblioteca, aguardando o Sr. Presidente,  Engº Aires Ferreira que iria abrir a sessão.
Mas,  no último minuto, sucedeu qualquer imprevisto que o impediu e mandou em seu lugar o Vice-Presidente.  Este era um homem alto e forte que, para não destoar,  se chamava (ou lhe chamavam) Zé Grande,  e que eu não conhecia. Após as apresentações, tomámos lugar à mesa e a Dra. Helena explicou a situação à assistência. 
O Sr. Vice-Presidente (que nunca me tinha visto, nem lido o livro, nem nenhum dos meus livros), pegou  num livrinho  dos que estavam sobre a mesa e  começou a improvisar. Mas o jeito não era grande : que tinha  muito prazer em me conhecer,  muito gosto em saber que eu era Moncorvense,  muito gosto em saber que eu escrevia e que  “ para o ano cá a esperamos, com um livro mais bonito do que este”.  Agradeceu aos presentes e sentou-se.
A gargalhada só não foi estrondosa,  porque as pessoas entendiam que aquele era um momento algo solene, como o é o início da apresentação de um livro. Mas a vontade de rir era visível : uns tossiam, outros enfiavam o nariz no livro sem reparem que estava de pernas para o ar, outros assoavam-se , eu torcia-me na cadeira...
A apresentadora,  Dra. Graça Abranches, que tentava manter a compostura, lá se levantou e começou a ler o seu  trabalhinho de casa. Mal a leitura das duas folhinhas terminou, toda a gente correu para o “Porto de honra” que o pessoal da Biblioteca havia preparado, não para se atirarem aos bolinhos de amêndoa, deliciosos, diga-se de passagem,  mas para poderem, finalmente rir a bandeiras despregadas. As gargalhadas estalaram de todos os lados.
Para nos compensar, o Sr. Zé Grande convidou-nos,  a mim e às minha três colegas,  para irmos ver a sua adega no Reboredo . Valeu a pena o passeio, pela vista e pelos vinhos.
Agora, sempre que vou à apresentação de um livro, recordo esta peripécia. E continuo a achar graça. Aliás, penso que quem não consegue rir de si próprio, não terá muito sentido de humor.

NOTA FINAL : Esta “pequena memória” vai direitinha para a minha amiga Detinha, para a compensar por tê-la feito comover-se com a história do Guga. Agora já riu, de certeza.


Leiria,23 de Junho de 2013

Júlia Guarda Ribeiro

sexta-feira, 21 de junho de 2013

O Museu de Lamego recebeu o evento Taste Douro

O Museu de Lamego recebeu o evento Taste Douro. Uma iniciativa que pretende dar a conhecer os melhores produtos da região.No cartaz as amêndoas de Torre de Moncorvo.
Ver o video em:
http://www.localvisao.tv/index.php/beira-litoral/1391-taste-douro#fprrpopup1784307733

Artes e Livros,por Virgílio Gomes




Durante os dias 6, 7, 8 e 9 de Junho de 2013 Bragança foi palco de um Encontro de Academias de Letras Lusófonas, chamada “Artes e Livros”. Um conjunto de palestras, jantares temáticos, e especialmente o lançamento de vários livros foram as atividades principais deste encontro.
Câmara Municipal de Bragança e a Academia de Letras de Trás-os-Montes foram os organizadores e anfitriões do evento que se realizou no Centro Cultural Municipal Adriano Moreira.
No âmbito da gastronomia, já referi anteriormente a palestra “A Gastronomia Luso-Amazónica” proferida pelo Professor Álvaro Espírito Santo no dia da abertura. No dia a seguir foi a vez de se apresentar São Tomé e Príncipe. No Sábado, dia 8, foi a vez do meu Amigo Armando Fernandes proferir uma palestra intitulada “Saga dos Comeres Bragançanos e a Lusofonia” sendo servido nesse dia o jantar transmontano que irei documentar mais em baixo.
Sobre livros associados à gastronomia apenas a referência ao livro lançado nesse mesmo sábado: “A Terra de Duas Língua II”, uma iniciativa da Academia de Letras de Trás-os-Montes, coordenada pelos meus Amigos Ernesto Rodrigues e Amadeu Ferreira. Trata-se de uma Antologia de Autores Transmontanos e que contém dois textos associados aos prazeres da mesa que são “A Oliveira do Meio-Cântaro” de António Manuel Monteiro, e “Doce Arroz” de minha autoria e que é uma estreia em ficção (com muitas coincidências). A edição é de Lema de Origem – Editora L.da.



Vejamos o que foi o jantar servido pelo transmontano Chefe José Cordeiro:

VALE DA VILARIÇA - Verão

Quinta da Terrincha 
. O verão 2013 começa no dia 21 de junho (HOJE) exatamente às 05:04 horas em Portugal. Este momento é conhecido como Solstício de verão.

quarta-feira, 19 de junho de 2013

Vale do Tua -Um ecossistema em perigo iminente



O biólogo António Castelo e o realizador João Vasconcelos, da Associação Internacional para a Documentação da Natureza/AidNature, passaram um mês a filmar o último rio selvagem da Europa, no Vale do Tua. Financiados pelo Partido dos Animais e da Natureza (PAN), registaram imagens de uma fauna e flora que após a construção da Barragem da Foz do Tua deverão desaparecer.
PÚBLICO 08/06/13

O RESGATE DOS JUSTOS DA TERRA, de Henrique Pedro | Apresentação na Poética



Sinopse da obraAlguns séculos depois que aconteceu o resgate dos justos da Terra, visitantes vindos do distante planeta Romã, puderam constatar a total destruição da crusta daquilo que havia sido um planeta exuberante de vida e, em geral, formoso e aprazível.
A superfície da Terra era agora árida e estéril, sem resquícios das megalópoles que outrora foram Tóquio, Paris ou NovaYork. As próprias pirâmides de Gizé, como a gigantesca muralha da China, jazem desfeitas e soterradas nas areias que cobrem a maior parte dos solos, secos e descarnados.
Apenas uma pequena cruz de granito e uma só roseira, a seu pé, florida com uma só flor, permaneciam visíveis num local incaracterístico, que os visitantes pretenderam identificar, apesar de tudo, como o sítio em que resgate teve lugar, algures naquela que fora, outrora, a Terra Quente Transmonta, úbere de vinhedos, olivais e pomares.

Sobre o autor: Henrique Pedro nasceu em Vale de Salgueiro, freguesia do concelho de Mirandela, bem no coração da Terra Quente Transmontana, berço da mítica Pátria Celta Luanca, demarcada pelos rios Tua, Tuela e Rabaçal, e outros tributários menores, que fertilizam pomares, vinhas e olivais (...)
Concluiu o Curso Geral dos Liceus no Liceu Nacional de Chaves (1966); é licenciado em Ciências Militares pela Academia Militar de Lisboa (1971); Bacharel em Matemáticas (1978) e licenciado em Engenharia Geográfica (1980) pela Faculdade de Ciências de Lisboa.É membro Sénior da Ordem dos Engenheiros e da Academia de Letras de Trás-os-Montes. 
Henrique Pedro é também um dos autores incluídos na na Antologia de Autores Transmontanos II, Terra de duas Línguas.

Apareçam!

ALFÂNDEGA DA FÉ- POMBAL

Foto A.F.F.M.
: A freguesia de Pombal, com os seus 132 eleitores, vive essencialmente da agricultura, sendo conhecidos os seus amendoais que, de resto fazem parte do circuito das amendoeiras em flor. Localizada na vertente sul da serra de Borres e virada para o vale da Vilariça, esta freguesia possuiu um clima bastante quente e com amplitudes térmicas muito inferiores à média do concelho, produzindo se ali boas hortaliças, azeite, figos e bastante cortiça. Desconhece se a origem da localidade, mas no local onde há cerca de duas décadas foi construído o campo de futebol, no cimo de um monte que lhe fica próximo, encontramos vestígios de um muro, cuja espessura e características de construção evidenciam a possibilidade de ali ter existido um castro. Nas proximidades, entre esta localidade e a de Vales, encontram se as ruínas de uma aldeia conhecida por "Vale das Cordas". Como veremos, ao falar dos Vales, a tradição explica que foi a partir desta localidade que surgiu a actual aldeia de Vales, mas pode igualmente levantar se a hipótese de o povoamento da zona ser ter desenvolvido do castro para esta povoação extinta e depois esta ter dado origem às duas que lhe ficam vizinhas. Realiza se uma festa em honra de Santa Marinha, a 18 de Julho.

UNESCO aprova barragem de Foz Tua
















CLÁUDIA CARVALHO e LUSA 19/06/2013 - 10:49 (actualizado às 13:08)

Organização não vê em perigo a classificação do Douro, mas recomenda medidas de salvaguarda.


O Comité Mundial da UNESCO aprovou, no Camboja, o projecto de deliberação que compatibiliza a Barragem de Foz Tua com o Douro Património Mundial, mas exige medidas de salvaguarda.
Para Ana Paula Amendoeira, presidente do Icomos/Portugal, a ONG que aconselha a UNESCO em matéria de património cultural, esta não é uma decisão surpreendente. "Nada disto é novidade, a decisão segue o curso normal daquilo que vem sendo este processo", diz ao PÚBLICO a especialista, não deixando de lamentar a aprovação da barragem. "É uma decisão política, que nos ultrapassa por não ser baseada em pareceres técnicos e científicos."

BAIXO SABOR - Obras da barragem

Fotografia de José Rodrigues
                            Estrada Municipal Cabreira - Picões, Alfândega da Fé, outubro de 2012

TORRE DE MONCORVO, FOZ CÔA - Programas



Macedo de Cavaleiros e Vila Nova de Foz Côa recebem curso de formação mass-training em Suporte Básico de Vida


A Unidade Local de Saúde do Nordeste está a organizar, em conjunto com o Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) e as Câmaras Municipais de Macedo de Cavaleiros e de Vila Nova de Foz Côa, o curso de formação mass-training em Suporte Básico de Vida. A formação é gratuita e terá lugar no dia 21 de junho.

Dirigido ao público em geral, este mesmo curso já foi promovido, no passado dia 30 de maio, nas cidades de Bragança e Mirandela, sendo agora a vez de Macedo de Cavaleiros e Vila Nova de Foz Côa acolherem a ação.

Para cada uma das sessões formativas foram abertas 250 inscrições e envolvidos 40 formadores (da ULSNE e do INEM), procurando assim que aproximadamente mil pessoas, na região, passem a dispor deste conhecimento.

Inscrição:
Todos os interessados em frequentar a formação do próximo dia 21 (sexta-feira) poderão fazê-lo através dos seguintes contactos:
Macedo de Cavaleiros: 925 667 606
Vila Nova de Foz Côa: 938 789 046
mass-training@ulsne.min-saude.pt
 

terça-feira, 18 de junho de 2013

Rio Sabor - Corvo-marinho-de-faces-brancas.

Fotografia de José Rodrigues
                         Rio Sabor, Cilhades, outubro de 2012. Corvo-marinho-de-faces-brancas.

O cormorão ou corvo-marinho-de-faces-brancas (Phalacrocorax carbo) é uma ave da ordem dos pelecaniformes, com ampla distribuição geográfica. A espécie ocorre em todo o continente africano, Europa, Ásia central e do sul, Oceania e América do Norte. Habita principalmente zonas costeiras, mas também pode ser encontrado em lagos interiores, áreas pantanosas e estruturas artificiais como barragens.

MINAS DE OURO - COMPLEXO MINEIRO ROMANO DE JALES-TRESMINAS-RIBEIRINHA - - VILA POUCA DE AGUIAR

 - 









Exploração mineira a céu aberto, pelo processo de cortas, com a configuração de desfiladeiro com alargamentos irregulares, assente em três locais de extracção, o Lago de Covas, com um comprimento de 430 m e uma profundidade de c. de 60 m, Lago da Ribeirinha, com um comprimento de c. de 370 m e uma profundidade que ultrapassa os 100 m e os Laginhos, com um comprimento de c. de 100 m e uma profundidade de 9 m, embora neste último local a exploração praticamente se limitou à extracção subterrânea. Para o transporte, bem como para escoamento das águas, foram abertas transversalmente à orientação do filão, galerias principais, apresentando sempre um declive em direcção à superfície.


VILA REAL - Dois Homens num só Rosto


Alfandega da Fé - Não aos exames

Foto:http://www.cm-alfandegadafe.pt/freguesias/26
O Agrupamento de Escolas de Alfandega da Fé foi o único em todo o distrito de Bragança em que a greve dos professores impediu a realização do exame de Português. Nas restantes escolas do distrito, onde a adesão à greve rondou os 60%, foi necessário recorrer aos professores convocados para o normal decurso da prova. António Gonçalves Rodrigues
PÚBLICO 17/06

segunda-feira, 17 de junho de 2013

Douro e Trás-os-Montes - Três associações empresariais

Foto do Arquivo Fotográfico Farrapos de Memória
Vila Real, 17 jun (Lusa) -- Três associações empresariais estabeleceram uma aliança para a promoção turística e qualificação da oferta do Douro e Trás-os-Montes para atrair mais clientes a este território, anunciou hoje a Associação Portuguesa de Hotelaria, Restauração e Turismo (APHORT).
À APHORT juntaram-se a Associação de Empresários Turísticos do Douro e Trás-os-Montes (AETUR), com sede em Vila Real, e com a Associação de Empresários de Hotelaria e Turismo do Douro (AEHTDOURO), sediada em Lamego.
Rodrigo Pinto Barros, presidente da APHORT, disse à agência Lusa que o objetivo desta aliança é "trazer mais clientes" para as duas regiões e melhorar a oferta quer a nível da hotelaria ou restauração.

BAIXO SABOR -Ribeiro dos moinhos II

Moinho das Teixeirinhas.Fotografia de José Rodrigues